Páginas de Navegação do Menu

O Anônimo

O Anônimo

“Tenham o cuidado de não praticarem os seus deveres religiosos em público a fim de serem vistos pelos outros. Se vocês agirem assim, não receberão nenhuma recompensa do Pai de vocês que está no céu.”  Mt. 6:1

Temos aqui um trecho muito importante do sermão do monte de Jesus Cristo, que nos traz à tona algo que é constantemente buscado por nós: o reconhecimento.

Segundo nossos preceitos, um ser humano sem reconhecimento é um ser humano sem prestígio e sem credibilidade. Seja no mundo dos negócios, seja no meio acadêmico e também no meio religioso.

Jesus nos alerta a não buscarmos reconhecimento humano assim como faziam os fariseus, que ao darem suas esmolas o faziam em praça pública, para que outras pessoas tivessem a imagem de bondade e solidariedade do contribuinte. Ou também em suas práticas de orações de pé nas esquinas e sinagogas, que eram feitas para que os outros os vissem como adoradores, ou como homens de Deus.

No entanto, Cristo nos mostra mais uma vez que o Pai não vê como nós vemos. E reafirma a profecia de Isaías 55:9 (“Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos e os meus pensamentos mais altos do que os seus pensamentos.”), nos mostrando o quanto nossa análise é superficial e o quanto ansiamos por uma aparência aceitável aos demais. Mas Deus analisa quem realmente somos quando não há ninguém observando. Deus conhece a nossa verdadeira intenção ao agirmos. Pois Ele sonda e conhece o íntimo do coração do homem.

Partindo disso, podemos fazer uma introspectiva e perceber o que estamos fazendo para sermos apresentáveis, ou para causar uma reação agradável aos expectadores. Seja no nosso louvor bem apresentado, seja na nossa oração bem argumentada, no nosso discurso bem feito, ou até mesmo nas nossas ações de caridade.

Mas Jesus nos faz um convite ao “anonimato”, para que Ele possa aparecer na nossa vida, para sermos cristãos vistos por Deus e agradáveis a Deus. Sermos cristãos autênticos que não se importam com análises feitas por homens, mas se importam constantemente com a análise feita por Deus. Pois assim como diz Paulo, a aprovação dos homens é apenas uma consequência da vivência e da intimidade com Deus (“aquele que assim serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens.” Rm 14:18).

Portanto, o nosso desejo é que após recebermos o evangelho do Reino de Deus, não vivamos para nós mesmos. Que o holofote das nossas vidas seja direcionado apenas ao Pai, que nos dá a vida. E que não busquemos glória e reconhecimento pessoal, mas que vivamos para dar honra e glória àquele que é digno: Jesus Cristo.

Nisto, Jesus encerra este trecho do sermão do monte dizendo: “e o seu Pai, que vê o que você faz em segredo, lhe dará a recompensa.” Mt. 6:4

Graça e Paz!

Meu desejo é ser um engenheiro, pastor e pregador abençoado e segundo o coração de Deus! Cristão desde criança, sempre buscando conhecer a Bíblia e aprender mais sobre Deus. Meu prazer sempre foi estudar a palavra de Deus e compartilhar o que aprendi. A partir disso, tive a oportunidade de ser colunista. Vi isso como uma forma de ser um instrumento de evangelização através dos meus textos. Espero que o nome de Jesus seja glorificado através do trabalho dos JOVENS EVANGÉLICOS (JE).

     
  Receba nossas novidades diretamente em seu email  
     
   
     


Comente com o Facebook

commentários



Ou use o nosso sistema padrão


  • Kayro Rocha

    Uma reflexão muito esclarecedora e sensata. Parabéns!

    • Wendell Christian

      Esta análise nos faz refletir que nosso objetivo não é buscar a aprovação humana, ser “um bom crente” para seu líder ou seu pastor, mas buscarmos diariamente a aprovação de Deus mediante nossas atitudes diárias!

  • Brenda Araujo

    É de grande importância a abordagem desta palavra, pois nos dias atuais é o que ocorre frequentemente o “reconhecimento do homem”, glorifico á jesus ! porque apesar de muitos estarem de certa forma em desobediência, outros filhos do rei altíssimo estão deixando ser usados pelo espirito santo que por sua vez nós fortalece, contribuindo para o continuo do evangelho.

    Romanos 6:15-18
    “Pois quê? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum. Não sabeis que daquele a quem vos apresentais como servos para lhe obedecer, sois servos desse mesmo a quem obedeceis, seja do pecado levando para a morte, ou da obediência levando para a justiça? Mas graças a Deus que, embora tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues; e libertos do pecado, fostes feitos servos da justiça”

    A GRAÇA E A PAZ DO SENHOR DEUS E JESUS CRISTO SEJAM COM TODOS !

    • Jonatas Rosa

      Amém!